Ser comerciante em Angicos: Sinônimo de insegurança e prejuízos

10841133_700570036717525_1231846151_nEm conversas que este redator manteve via telefone com alguns comerciantes de nossa cidade a sensação que nos percebemos entre estes foi à mesma.

Primeiramente, ambos tem um fato em comum, foram vitimas de roubos em seus pontos comerciais e acumularam um grande prejuízo financeiro.  

Por exemplo, na madrugada desta terça feira (28) a Loja Rutter que vende artigos de confecções para o público masculino foi arrombada de onde os bandidos levaram, acreditem de acordo com o proprietário da loja o qual mantivemos contato telefônico em torno de 6.500 reais em artigos, do tipo: calças, bermudas e camisetas masculinas.

Ai, nós fazemos a indagação que já fizemos na rede social Facebook. Tem comerciante que resista a tamanho prejuízo em tempos de recessão como o que estamos vivenciando? Outro questionamento, como essas noticias se espalham rapidamente com o levante das redes sociais, será que algum comerciante pensa em vir instalar seus negócios em Angicos vendo tamanha insegurança?

Pois é meus amigos são questionamentos que até agora continuam sem respostas, pois que tem que responde-los não somos nós da imprensa. Nós só somos responsáveis por repassar os anseios populares. Essa responsabilidade recai sobre as autoridades constituídas.

Nós ainda acompanhamos pessoas dizerem que o fato de ser um ponto comercial a responsabilidade  é da segurança privada. Meus amigos, pelo amor de Deus tenhamos bom senso, um ponto comercial estabelecido em Angicos, pagando impostos, empregando angicanos não tem direito a usufruir da segurança pública? Ora, é claro que tem.

Continuamos esperando que alguma providência seja tomada e que alguma resposta seja dada a contento a este comerciante que obteve esse prejuízo irreparável, como a exemplo do último que ocorreu onde graças à ação de um policial militar a paisana e de alguns populares o individuo que praticou o roubo em alguns pontos comerciais de nossa cidade foi preso e os produtos foram recuperados.

Algo tem que ser feito com urgência, antes que mais comerciantes sejam vitimas e acumulem mais prejuízos.