RN quer pagar a policial por armas ilegais apreendidas em operações

A governadora Fátima Bezerra anunciou nesta terça-feira, 2, durante balanço das ações de segurança pública nos seis primeiros meses de sua gestão, que enviará ainda esta semana à Assembléia Legislativa um projeto de lei estabelecendo bônus em dinheiro a ser dividido por policial ou guarnição que apreender armas ilegais em ações de rua.

Segundo o secretário de Segurança Pública, coronel Francisco Araújo, o valor dos bônus a serem pagos ainda serão decididos, mas variarão de acordo com o tipo de armamento apreendido. “Armas pesadas ou de maior letalidade, como fuzis e metralhadores, terão um valor maior do que pistolas, evidentemente”, antecipou.

Ao comentar o projeto que enviará para a apreciação dos parlamentares estaduais, a governadora afirmou que a medida tem como objetivo imediato desarmar o máximo possível a população. “Achamos que quanto menos armas ilegais em circulação, melhor”, afirmou.

Fátima Bezerra reuniu representantes da cúpula da segurança pública do Estado, juntamente com o vice-governador Antenor Roberto, para anunciar uma queda de 30% dos índices de violência do RN nos primeiros seis meses de sua administração na comparação com igual período do ano passado.

“Em meio a uma crise financeira e fiscal devastadora, sem dar uma única arma ou uma única viatura a nossos policiais, conseguimos esses resultados”, comemorou.

Em seguida, ela anunciou que já começaram a ser liberados os R$ 80 milhões do Governo Federal destinados a equipar as polícias do Rio Grande do Norte.

Segundo o coronel Francisco Araújo, 30 viaturas Voyage e nove motocicletas serão entregues em breve à Polícia Civil. E, com esses recursos, além de armas, coletes e munições, o governo do RN pretende também adquirir um helicóptero para o policiamento aéreo. “As viaturas descaracterizadas já chegaram e estão sendo emplacadas”, antecipou.

“Juntos, esses recursos somam R$ 140 milhões a serem investidos nas condições de trabalho dos nossos policiais”, frisou o coronel.

Os números

Com base nos dados estatísticos divulgados pela Coordenadoria de Informações Estatísticas e Análises Criminais (Coine), foram registrados no primeiro semestre deste ano 718 ocorrências de crimes violentos letais intencionais (CVLI), uma redução de 30% nos índices de 2018, quando foram registrados no mesmo período 1.033 CVLIs.

A redução do número, segundo o estudo, resultou em 315 vidas poupadas de janeiro a junho de 2019.

Mas houve redução em outras áreas criminais, de acordo com o estudo, como ataques a bancos, com a redução de 16 para 14 registros, bem como as ações de conduta violência contra o patrimônio (CVP), que de 1.073 registros nos primeiros seis meses de 2018 para 5.945 – 128 a menos.

Já a Polícia Civil do RN, no período de janeiro a maio deste ano, prendeu 828 suspeitos por crimes diversos e deflagrou 30 operações por todo o estado. Nelas, apreendeu quatro toneladas de drogas, recuperou 1.882 veículos e remeteu 2.833 inquéritos à Justiça.

Só no item “feminicídio”-  homicídio cometido contra mulheres motivado por violência doméstica ou discriminação de gênero – os números não foram favoráveis, pois de 13 no primeiro semestre de 2018 passaram para 14 no primeiro semestre deste ano.

Ivênio Hermes, coordenador do Coine, explicou que a violência doméstica, que pode resultar em mortes, foge da alçada de qualquer planejamento de segurança pública por tratar-se de situações que ocorrem muitas vezes dentro dos domicílios, motivados por razões de ordem educacional, entre outros motivos.

Portal Agora RN;

%d blogueiros gostam disto: