Justiça proíbe policiais civis do Rio Grande do Norte de deflagrarem greve

duodécimoO Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte atendeu ao pedido preventivo da Procuradoria Geral do Estado (PGE) e determinou a proibição de movimentos grevistas por parte de policiais civis do Estado. A decisão foi do desembargador Amilcar Maia.

O PGE antecipou o pedido a futura manifestações grevistas por parte da categoria. Na decisão, o desembargador, que é relator do caso, citou que a atuação dos policiais na segurança pública é uma serviço essencial e que a greve viola a ordem pública. O magistrado declarou ilegalidade do movimento Operação Zero e determinou a imediata suspensão da greve e o retorno dos representantes da categoria que aderiram a paralisação ao trabalho.

O desembargador definiu uma multa diária no valor de 20 mil em caso de descumprimento.

No último dia 13 de julho, os policiais civis realizaram um protesto reivindicando o pagamento do 13° salário de 2017, a ação foi chamada Operação Zero. Os agentes e escrivães se concentram na sede da Delegacia Geral, em Natal-RN. Em Natal só a Delegacia de Plantão da Zona Norte atendeu a população, já no interior os registros de ocorrências e flagrantes foram feitos nas delegacias regionais.

Portal Agora RN;

%d blogueiros gostam disto: