Justiça mantém decisão que livrou Henrique da “Farra das Passagens”

O Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), em Brasília, rejeitou recurso do Ministério Público Federal contra o ex-ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves. O órgão questionava Henrique, na época em que era deputado, quanto o uso de passagens aéreas na condição de parlamentar.

A acusação do Ministério Público Federal em Brasília ocorreu em agosto de 2017, em um escândalo conhecido como “Farra das Passagens”. A denúncia ocorreu poucos meses após Henrique ter sido preso pela Polícia Federal em desdobramentos da Operação Lava Jato.

Com a decisão do TRF-1, o acórdão que arquivou a ação penal foi mantido. A Corte não observou que foram cometidas ilegalidades neste âmbito por Henrique. 

Pelo MPF, o eemedebista foi acusado de ter comprado 306 bilhetes aéreos nacionais e internacionais para terceiros entre 2007 e 2009, um gasto total de R$ 206 mil para os cofres da Câmara.

Segundo a procuradoria, havia indícios de que familiares tenham sido beneficiados, entre eles filhos e uma das ex-mulheres de Henrique Alves. Miami e Buenos Aires foram alguns dos destinos.

%d blogueiros gostam disto: