Geraldo Melo contesta lista do TCU e garante: “Não há inelegibilidade minha”

Geraldo Melo ao lado dos deputadosO pré-candidato ao Senado Federal Geraldo Melo (PSDB) refutou o fato de constar no sistema de contas irregulares do Tribunal de Contas de União, afirmando que “não há inelegibilidade” sua neste caso. Em nota, Melo explicou que o processo que corre no TCU em seu nome é referente a uma prestação de contas do PSDB em 1997 (época de sua primeira filiação à sigla) da qual ele diz estar ligado apenas por “solidariedade civil” e não por “responsabilidade direta”.

De acordo com o pré-candidato, como ele atuava em 1997 como senador e morava em Brasília, estava “inteiramente afastado” da administração do PSDB, não praticando qualquer ato de improbidade na gestão do partido, sendo, consequentemente, elegível para o pleito ao Senado Federal em 2018.

O processo (022.930/2006-4) que consta mencionando o pré-candidato pode ser acessado pelo site do TCU neste link.

Confira a nota do pré-candidato Geraldo Melo:

A propósito de uma notícia que está sendo veiculada sobre algum obstáculo legal à candidatura de Geraldo Melo ao Senado Federal, o pré-candidato tem a informar o seguinte:

– Não há impedimento legal contra o registro da minha candidatura;

– O fato noticiado se refere a uma prestação de contas do PSDB apresentada em 1997 à justiça eleitoral, quando eu era Senador da República e residia em Brasília, estando, assim, inteiramente afastado da Administração do dia a dia do partido;

– Eu não pratiquei nenhum ato de gestão envolvendo dinheiro do partido ou qualquer outra coisa, pois, estando afastado, eu não era gestor;

– Não existe qualquer tipo de referência a improbidade administrativa no processo, sendo a minha ligação com o assunto de solidariedade civil e não de responsabilidade direta. E ainda assim estão sendo recolhidos os valores à justiça eleitoral;

– POR FIM, REITERO QUE NÃO HÁ INELEGIBILIDADE MINHA E NEM DE NINGUÉM POR ESSE MOTIVO, POR DECISÕES REITERADAS DA JUSTIÇA ELEITORAL.

Geraldo Melo
Pré-candidato ao Senado

A lista

O Rio Grande do Norte tem 189 nomes na lista de contas eleitorais rejeitadas pelo Tribunal de Contas da União (TCU). O grupo representa gestores públicos que praticaram alguma irregularidade no gerenciamento de recursos públicos federais antes das eleições.

Com base nos dados apresentados pelo TCU, a Justiça Eleitoral poderá barrar a candidatura nas eleições de outubro de quem estiver na lista, porque os eventuais candidatos são considerados inelegíveis.

Portal Agora RN;

%d blogueiros gostam disto: