Garibaldi repudia denúncia da Procuradoria geral da República e emite nota a imprensa

Motores-do-Desenvolvimento-Garibaldi-Filho-14-750x511

Denunciado pela Procuradoria-Geral da República por corrupção passiva, o senador Garibaldi Alves Filho (PMDB) emitiu  uma nota à imprensa na qual repudia a acusação e nega envolvimento com irregularidades.

No texto, o peemedebista assinala que os fatos relatados na denúncia datam de 2008, na qual o senador não foi candidato. “Portanto, não foi beneficiário de nenhuma doação”, diz a nota.

Segundo a Procuradoria-Geral da República, Garibaldi solicitou à época ao então presidente da Transpetro, Sérgio Machado, R$ 125 mil em propina disfarçada de contribuição oficial. O dinheiro, segundo mostram extratos bancários, foi depositado na conta do Diretório Estadual do PMDB em 11 de setembro, sendo creditado no dia seguinte. Seis dias depois, o dinheiro foi transferido para a campanha a prefeita de Natal de Fátima Bezerra (PT), que tinha apoio do PMDB à época.

Ainda em sua explicação, Garibaldi lamentou “a generalização que ofende a sua honra e criminaliza a política brasileira”.

Confira o texto na íntegra:

“O senador Garibaldi Alves Filho desde logo repudia a acusação e destaca que esta mesma delação, noticiada hoje pela denúncia apresentada pelo Procurador Geral, será também usada na sua defesa para alcançar o consequente arquivamento.

A própria narrativa da peça acusatória registra tratar-se de eleição municipal de 2008, na qual o senador Garibaldi não foi candidato e, portanto, não foi beneficiário de nenhuma doação.

O senador Garibaldi Alves Filho lamenta a generalização que ofende a sua honra e criminaliza a política brasileira.”