Colação de Grau em Mossoró diploma 318 novos profissionais pela Ufersa

Há mais ou menos quatro, cinco anos o Sertão brasileiro sofre com a estiagem de chuva que castiga homens e mulheres do campo e que, de forma inevitável, reflete diretamente na vida da cidade. Concomitante a este mesmo período, uma legião de estudantes de diversas cidades do Rio Grande do Norte e de vários outros Estados brasileiros traçaram sua trajetória acadêmica em um dos 22 cursos de graduação presencial do Campus Sede, em Mossoró, na Universidade Federal Rural do Semi-Árido.

No último sábado, dia 5 de maio, estes 318 estudantes concluíram a grade curricular de seus cursos e receberam seu diploma de nível superior em uma solenidade de colação de grau emocionante e, por ironia do destino, marcada por uma forte chuva. Com o auditório do Centro de Exposições Enéas Negreiros – Expocenter lotado, nominalmente, cada um(a) do(a)s concluintes adentraram a solenidade ladeados(as) por seus(as) respectivas padrinhos e madrinhas.

O cortejo antecipou a abertura oficial proferida pelo magnífico reitor, professor José de Arimatea de Matos, que presidiu a solenidade de Outorga de Grau dos Formandos do Semestre 2017.2. Na sequência, o professor Rodrigo Nogueira de Codes, Pró-reitor de Graduação da Ufersa, apresentou os formandos de cada um dos cursos.

Coube à formanda Larissa Leykman da Costa, de Medicina Veterinária, ler o juramento protocolar em nome de todos os formandos. Um excerto do texto, conclama: “Prometo, no exercício de minha profissão, consagrar o melhor do meu espírito e o máximo de minhas energias ao desenvolvimento da humanidade para promover o bem-estar e a evolução da sociedade”. Convidados a ficar de pé e com o braço direito estendido, em coro, todos responderam “Assim prometo!”.

O ato antecede um dos momentos mais importantes da noite, quando o Reitor confere a Outorga de Grau e, a partir de então, migram de “Formandos” para “Formados”. O ato foi conferido simbolicamente a um representante de cada um dos cursos e solicitado pela concluinte Thalita Brenna da Silva Moreira, de Engenharia Elétrica. Com o capelo na cabeça, os estudantes receberam o canudo que simboliza o diploma conferido a cada um dos concluintes.

A noite fora especial para todos(as), mas para 11 formandos(as) que estavam presentes na solenidade o gosto de satisfação foi ainda maior. Eles(as) integram o seleto grupo dos 15 concluintes agraciados com Menção Honrosa em destaque pelo desempenho acadêmico durante a trajetória na Universidade. O título é conferido aos que obtém Índice de Eficiência Acadêmica superior a 9.

As comendas foram entregues pelo reitor, acompanhado do paraninfo geral das turmas, professor Francisco de Queiroz Porto Filho. Os dois integram a mesa de honra acompanhados da vice-prefeita de Mossoró, Nayara Gadelha, representantes da UERN e IFRN, pró-reitor de Graduação, professor Rodrigo Codes, diretores e diretoras dos cinco Centros Acadêmicos do Campus Sede e representantes dos campi de Angicos, Caraúbas e Pau dos Ferros.

Em cada solenidade, é quase impossível segurar a emoção a cada leitura dos discursos proferidos ao longo da noite. Lúcia Regina de Lima Régis, do curso de Agronomia, foi a primeira concluinte a subir no palco para discursar na condição de Oradora, representando os(as) demais colegas. Ela relembrou o percurso na Instituição compartilhado ao lado dos colegas e, usando “chuva” como metáfora, ressaltou as transformações na vida dos, agora, profissionais graduados.

“O tempo mudou! A chuva se fez presente e as águas levaram muita coisa e também trouxeram”, refletiu ela, complementando o pensamento com uma frase encorajadora atribuída ao ativista Martin Luther King: “Por isso ‘devemos construir diques de coragem para conter a correnteza do medo’”.

A fertilidade da terra também foi o mote das palavras lidas pelo Paraninfo Geral das turmas 2017.2, professor Francisco de Queiroz Porto Filho, ao relembrar sua dedicação em aproximar os estudantes ao setor produtivo e, com isso, acompanhar o crescimento ao longo da jornada na Universidade. “Vocês poderiam ter tomado outro rumo, mas resolveram trilhar o caminho do conhecimento. A maior riqueza que uma pessoa pode ter é o conhecimento”, aconselhou.

Os pais receberam homenagem especial. Aos presentes, a concluinte Maria Clara Fernandes da Costa Saldanha, do curso de Engenharia Química, enfatizou que “são eles quem nos incentivam a prosseguir e mantêm firmes nas nossas metas diante dos obstáculos que aparecem pelo caminho”. E concluiu: “a maior herança que um pai pode deixar para o seu filho seja esse: o estudo, a chance de ir além através do conhecimento”.

Em suas palavras, o Reitor José de Arimatea de Matos pontuou o empenho da instituição em oferecer uma formação de qualidade a todos e desejou bons êxitos na carreira profissional. “Efetuem suas atividades com alegria, plantem um futuro próspero, regue-o com amor e dedicação e colherás frutos de uma vida nova, de felicidades e realizações, vivam e façam a diferença na vida de todas as pessoas que vocês encontrarem. Deus está com cada um de vocês, muitas felicidades e conquistas é o que desejamos. Acreditem, força, coragem!”.

Por fim, a solenidade fora encerrada na alegria do tradicional arremesso dos capelos ao ar e também com uma rápida trégua da chuva, que de forma muito simbólica reafirmou durante toda a noite a mensagem estampada no brasão da Universidade: “Pela ciência a terra árida floresce”, agora, também pelas mãos dos 318 profissionais graduados pela Universidade Federal Rural do Semi-Árido.

Assecom – Ufersa;

%d blogueiros gostam disto: