Chapa de oposição vence eleição, e Rodolfo Landim é o novo presidente do Flamengo

Rodolfo Landim: “Melhor habilidade que eu acho que tenho é exatamente escalar time”O Flamengo terá uma nova gestão pelos próximos três anos (2019, 2020 e 2021). Com 1879 votos, a Chapa Roxa venceu a eleição deste sábado e Rodolfo Landim assumirá a presidência do Rubro-Negro (a posse será na segunda quinzena de dezembro).

Candidato da situação, Ricardo Lomba, da Chapa Rosa, ficou com o segundo lugar (1097 votos). Os demais candidatos derrotados foram Marcelo Vargas (41) e José Carlos Peruano (22).

Vamos nos unir para poder fazer um Flamengo imbatível. Estamos preparados e vamos unir o clube para gerir à altura e trazer muitas alegrias – prosseguiu Landim.

Rodolfo Landim substituirá Eduardo Bandeira de Mello, que comandou o Flamengo nos últimos seis anos. Antes mesmo de assumir, deixou claro que não será candidato à reeleição.

O presidente eleito fez parte da chapa azul original e atuou na diretoria de Bandeira durante o seu primeiro mandato, após a eleição de 2012. Os dois se cumprimentaram antes do fim da votação, e o atual presidente se colocou à disposição para ajudar na transição.

Bandeira deixou o ginásio acompanhado dos filhos antes mesmo de a apuração começar. Ouviu um integrante da Chapa Roxa gritar “tchau, querido”. No geral, o pleito ocorreu sem maiores incidentes, mas houve muitas provocações ao presidente.

Com o resultado da eleição, é questão de tempo para Landim anunciar Abel Braga como treinador do time para 2019. O nome de Abelão ganhou força depois que Renato Gaúcho preferiu permanecer no Grêmio. Marcos Braz, que será o vice de futebol, espera anunciá-lo em breve.

– Tem muita chance. Agora não tem nada decidido. Hoje o dia é de comemoração. A gente já vem trabalhando em algumas situações. O Abel é um grande treinador, tem uma história bonita no futebol. O departamento todo está trabalhando no futebol. É lógico que tínhamos prudência, uma eleição ainda pela frente. Agora a gente vai acelerar – disse Marcos Braz.

A trajetória de Landim

O empresário, que fez carreira na Petrobras e hoje ainda atua no setor de petróleo e combustíveis, chega ao poder com antigos membros do grupo, como Luiz Eduardo Baptista, o BAP, e Gustavo Oliveira, além do apoio de Wallim Vasconcellos, derrotado em 2015 por Bandeira.

Na eleição de 2018, Rodolfo Landim e seus pares chegaram de forma mais numerosa para a briga na eleição. A chapa roxa, batizada de Unifla, reuniu diversos e diferentes grupos e correntes políticas do clube e para bater de frente com a SoFla, base da atual gestão.

Também teve apoio de nomes que integraram a gestão Bandeira de Mello – entre eles Claudio Pracownik, ex-vice de finanças, e Mauricio Gomes de Mattos, que foi vice-geral. Presidente do Conselho Deliberativo, Rodrigo Dunshee é o vice-geral de Rodolfo Landim.

G1.com

%d blogueiros gostam disto: