Com explosivos, bandidos arrombam agência dos Correios na cidade de São Rafael

Criminosos explodiram agência dos Correios em São Rafael, RN — Foto: Redes sociaisCriminosos explodiram uma agência dos Correios na cidade de São Rafael na madrugada desta sexta-feira (31). De acordo com a Polícia Militar, os bandidos tentaram levar o cofre da agência, mas não conseguiram.

A polícia foi acionada depois que um motorista de ambulância, que levava uma mulher em trabalho de parto, teve o pneu do veículo furado na RN-118, entre São Rafael e Assú, por causa de grampos na pista.

A polícia ainda são soube confirmar quantos homens participaram dessa ação criminosa, mas populares relataram que ouviram, pelo menos, duas explosões e vários tiros.

Os bandidos explodiram a agência, mas não levaram o cofre. Eles fugiram em seguida. Policiais de Assú, Caicó e Jucurutu foram acionados para tentar capturar os criminosos.

Governo paga folha de maio e deposita primeira parcela do 13º de 2017

O Governo do Estado conclui hoje o pagamento integral da folha salarial do mês de maio e deposita ainda a primeira das duas parcelas referentes à dívida do décimo terceiro salário de 2017 – uma das quatro folhas deixadas como passivo pela última gestão.

Ao todo o Governo injetará nesta sexta-feira, 31, na economia do Estado mais de R$ 216 milhões, sendo R$ 203,7 milhões referentes aos 70% restantes para quem ganha acima de R$ 5 mil (valor bruto) e ainda o salário integral das pastas com recursos próprios, concluindo o total de R$ 445 milhões da folha de maio.

Outros R$ 12,6 milhões correspondem à primeira parcela do décimo de 2017 a 6.210 inativos e pensionistas que ganham até R$ 12 mil (valor líquido), quitando quase 85% do total de servidores desta folha. Os 1.257 restantes receberão no fim do mês de junho.

“Importante ressaltar que todos receberão o valor do décimo de 2017 com juros e correção monetária. O Governo ainda espera da Justiça o envio do cálculo a ser aplicado para essas correções e o consequente depósito desse acréscimo”, frisou o secretário estadual de Planejamento e Finanças, Aldemir Freire.

Todos esses servidores são aposentados e pensionistas e já tinham recebido parcela de R$ 5 mil da gestão passada, quando o Governo iniciou o pagamento escalonado, mas não concluiu a folha, deixando pendentes R$ 30,23 milhões. Com o acréscimo de R$ 1,7 milhão de correção monetária, o valor chega a quase R$ 32 milhões.

Neste mês de junho está previsto o novo pregão eletrônico para antecipação dos royalties de julho deste ano até dezembro de 2023. Com esse recurso o Executivo pretende recompor a dívida com o fundo previdenciário construída na gestão passada. Outras ações, como a venda da folha do Estado também estão previstas para os próximos meses, como forma de amortizar as outras três folhas em atraso.

Cidades do Rio Grande do Norte registram atos em defesa da educação

Em Natal, estudantes e professores saíram em passeata em favor da educação, com cartazes e faixas — Foto: Wendell JefersonEstudantes, professores e outras categorias fizeram manifestações em Natal e outras cidades do interior do Rio Grande do Norte nesta quinta-feira (30), contra o corte no orçamento das instituições públicas de ensino superior e também a reforma da previdência. Atos e paralisações aconteceram em outros os estados e no Distrito Federal nesta quinta.

Em Natal, o protesto começou por volta das 15h, no cruzamento entre as avenidas Bernardo Vieira e Salgado Filho. Os manifestantes seguem em passeata em direção ao bairro de Candelária, na Zona Sul, pela BR-101, como aconteceu em 15 de maio.

No caminho, houve um conflito com partidários do presidente Jair Bolsonaro, em frente à sede do Partido Social Liberal (PSL) em Natal. A Polícia Militar interveio e acabou a confusão. Um policial foi atingido por uma pedrada. A manifestação foi finalizada por volta das 19h.

Na cidade de Nova Cruz, estudantes secundaristas se juntaram em frente à sede do IFRN no município e depois ganharam as ruas da cidade, com cartazes contra os cortes na educação.

Em Nova Cruz, no Agreste potiguar, alunos e professores se reuniram no IFRN e depois saíram pelas ruas da cidade — Foto: Daniel Barbosa

Em Assu, na região Oeste, estudantes e professores também saíram em passeata com cartazes que faziam críticas aos cortes e também à reforma da previdência.

Manifestantes saíram pelas ruas de Assu, no Oeste potiguar, para protestar contra os cortes na educação — Foto: Cedida

Em Mossoró, também no Oeste, os estudantes saíram pelas ruas da cidade com faixas e cartazes. Eles se concentraram em um ponto central do município e depois seguiram em caminhada.

Em Mossoró, professores e estudantes também se reuniram para protestar em favor da educação — Foto:  Agência HiperLAB UERN

Entenda os cortes na educação

  • Em decreto de março que bloqueou R$ 29 bilhões do Orçamento 2019, o governo federal contingenciou R$ 5,8 bilhões da educação
  • Desse valor, R$ 1,704 bilhão recai sobre o ensino superior federal
  • Em maio, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) informou sobre a suspensão da concessão de bolsas de mestrado e doutorado
  • Os cortes e a suspensão motivaram os protestos de 15 de maio
  • Após os atos, o governo disse que liberaria mais recursos para a educação, mas manteve o corte já anunciado em março
  • Nesta quinta, o Conselho Nacional dos Direitos Humanos recomendou que o governo reveja os bloqueios.

Ato em defesa da educação em Natal reuniu pessoas em passeata na Avenida Senador Salgado Filho — Foto: Jonas Reis

G1.RN;

MPF processa ministro da Educação por sugerir a universidades federais do RN substituir terceirizados por alunos

Abraham Weintraub, ministro da Educação — Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil O Ministério Público Federal (MPF) ingressou com uma Ação Civil Pública (ACP) na Justiça Federal do Rio Grande do Norte buscando a condenação do ministro da Educação, Abraham Weintraub, e também da União por danos morais coletivos decorrentes de condutas praticadas desde que o primeiro assumiu a pasta, em abril deste ano. O MPF pede uma indenização de R$ 5 milhões.

Dentre as condutas em questão, está a declaração – em entrevista concedida em 30 de abril – de que “universidades que, em vez de procurar melhorar o desempenho acadêmico, estiverem fazendo balbúrdia, terão verbas reduzidas”. Para o MPF, a fala demonstra “clara vontade discriminatória por parte do réu.

Outra declaração dada pelo ministro, e que também está sendo apontada pelos autores da ação como ofensiva e discriminatória, aconteceu no dia 20 de maio durante reunião com reitores e membros da bancada parlamentar do Rio Grande do Norte. Ao ser questionado sobre a falta de recursos para o pagamento do serviço de limpeza na Ufersa,UFRN e IFRN, o ministro propôs que “se chamasse o CA e o DCE” para fazer os serviços.

Os CAs (centros acadêmicos) e DCEs (diretórios centrais dos estudantes) são órgãos de representação dos alunos e a prestação desses serviços pelos seus integrantes seria ilegal, afirma o MPF.

“A proposta parte da premissa inafastável de que, para Sua Excelência, os respectivos alunos são desocupados, não realizando a contento as atividades de ensino, pesquisa e extensão a ponto de ostentarem tempo livre para, ilegalmente, exercerem tarefa que cabe à Administração”, reforça a ação.

Em outro momento, no dia 22 de maio, em uma audiência na Comissão de Educação na Câmara dos Deputados, o ministro se recusou a pedir desculpas por usar o termo “balbúrdia” ao se referir às universidades federais. “Eu não tenho problema nenhum em pedir desculpas, mas esse não”, disse Abraham Weintraub.

Responsabilização direta

Apesar de ter incluído a União, o MPF sustenta também a responsabilização direta do ministro, pois, uma vez comprovado o dolo, não há necessidade de demandar unicamente o ente público. Uma das funções do Ministério Público Federal, inclusive, é a proteção do patrimônio público, que acabaria prejudicado caso a União fosse a única condenada.

Para o MPF, as condutas do titular do MEC são discriminatórias, não estando protegidas pela liberdade de expressão, pois denigrem a honra e a imagem pública dos professores e alunos. “Qualquer trabalho lícito é dignificante e aquele exercido voluntariamente, ainda mais no contexto da conservação do patrimônio público, merece ser homenageado. Fosse essa a finalidade da fala do Ministro da Educação, evidentemente, não haveria de se cogitar de qualquer dano moral”, esclarece a ação.

Porém, para os procuradores da República, não foi esse o sentido empregado. “O tom jocoso utilizado, com claro interesse de humilhar os estudantes, somente pode ser compreendido quando analisado o contexto global em que a fala foi proferida, no contexto da conturbada relação com as instituições de ensino”.

Risco democrático

A ACP destaca o perigo em torno de “envenenamento” gradual da democracia, quando discursos desse tipo passam a ser proferidos e considerados normais na sociedade, podendo criar um clima de animosidade contra as instituições.

Devido à complexidade em fixar indenizações a título de danos morais coletivos, o MPF sugeriu um valor de R$ 5 milhões, levando em conta a reiteração da conduta, o cargo ocupado por Abraham Weintraub e a quantidade de pessoas atingidas.

Caso os réus sejam condenados ao pagamento da indenização, após o trânsito em julgado da ACP, a quantia deve ser destinada ao Fundo de Defesa dos Direitos Difusos.

A ação tramitará na Justiça Federal do RN sob o número 0800928-89.2019.4.05.8401, na 10ª Vara Federal, em Mossoró, e é de autoria dos procuradores da República Emanuel Ferreira, Renata Muniz, Raphael Bevilaqua, Jorge Luiz Ribeiro, Felipe Moura, Caroline Maciel e Fernando Rocha.

Última parcela do FPM de maio será depositada nesta quinta-feira (30) para prefeituras do país

Pouco mais de R$ 2,2 bilhões – do último Fundo de Participação dos Municípios (FPM) de maio – será partilhado entre os cofres municipais nesta quinta-feira (30).

Com dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), estimativa da Confederação Nacional de Municípios (CNM) aponta que o valor destinado aos 5.568 governos locais sobe para R$ 2,7 bilhões, quando se considera o porcentual destinado ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb).

Esse decêndio representa em torno de 30% do valor total repassado no mês, cita a CNM, em informação veiculada por seu site oficial.

Se comparado com o mesmo decêndio do ano anterior, o montante será 17,08% maior, sem considerar os efeitos da inflação.

Ao considerar os três repasses feitos no mês, e relacionar com 2018, o Fundo registrará crescimento de 10,30%.

De acordo com o levantamento da Confederação, a primeira e a segunda transferência de maio foram de R$ 6,5 bilhões e R$ 775 milhões, respectivamente.

Quando se considera a inflação do período, o crescimento do último repasse de maio reduz de 17,08% para 12,02%.

Em relação ao acumulado do ano, nessa época, em 2018, o FPM somava R$ 42,3 bilhões.

Com esse último repasse, o FPM somará R$ 46,5 bilhões, de janeiro até agora.

Aplicada a inflação nesses valores, o crescimento montante reduz de 9,99% para 5,47%, em relação aos cinco primeiros meses do ano de 2018.

Assecom – CNM;

Angicos: Promotoria de Justiça da comarca comunica arquivamento de peça de investigação

Por meio do Aviso nº 2019/0000213201 publicado na edição desta quarta-feira (29) do Diário Oficial do Estado, a Promotoria de Justiça da comarca de Angicos, região Central do RN, torna público a Promoção de Arquivamento do Inquérito Civil nº 119.2014.000009.

O procedimento surgiu com o objetivo de apurar a legalidade no funcionamento das academias de ginástica sediadas no município de Angicos.

Aos interessados, o promotor de Justiça Augusto Carlos Rocha de Lima concedeu prazo até a data da sessão de julgamento da promoção de arquivamento pelo Conselho Superior do Ministério Público do RN (MPRN), para, querendo, oferecer razões contrárias ao arquivamento ora promovido.

Blog Pauta Aberta;

Estudantes realizarão novo movimento de protesto contra cortes na educação nesta quinta-feira em Angicos!

39bb70be-7cc8-4c12-bacd-5a39ef7a4ad9As entidades estudantis em Angicos realizarão na tarde desta quinta-feira, dia 30 maio uma movimentação pelas ruas em Angicos em protesto contra os cortes de recursos da educação propostos pelo governo federal contra as universidades federais e os Institutos Federais (IFRN’s).

O evento está sendo encabeçado por alunos da Universidade Federal Rural do Semiárido (Ufersa) que é uma das entidades mais prejudicadas pelo corte de recursos e têm, segundo a reitoria do órgão o seu segundo semestre de 2019 ameaçado de não ser realizado.

O evento protestativo está marcado para começas as 16 horas e 30 minutos na Praça José da Penha no centro da cidade e encabeçado pelo Departamento Central dos Estudantes (DCE) da Ufersa Campus de Angicos e pelos centros acadêmicos de Pedagogia e de Licenciatura em Computação e Informática.

Todos os estudantes angicanos estão sendo convidados para participar do ato em defesa da educação em nosso país que está tendo as suas ações ameaçadas devido os cortes propostos pelo governo federal.

Governo restabelece contrato de R$ 60 milhões para habitação no RN

A governadora Fátima Bezerra assegurou, junto à Secretaria Nacional da Habitação, recursos da ordem de R$ 60 milhões para restabelecer os contratos com o programa Pró-Moradia, que prevê a construção de 1.300 unidades habitacionais no Rio Grande do Norte.

O andamento das obras foi garantido em audiência na tarde desta quarta-feira, 29, com o diretor substituto da Secretaria Nacional de Habitação, Vladimir Lima, em Brasília.

Quando a atual gestão da Companhia Estadual de Habitação e Desenvolvimento Urbano – CEHAB assumiu, em fevereiro deste ano, foi constatado que existia este contrato de repasses do programa Pró-Moradia. No entanto, a Secretaria Nacional da Habitação havia determinado a devolução dos recursos por falta de contrapartida do Governo do Estado.

Em março, a CEHAB encaminhou um projeto com pedido de reprogramação dos recursos, incluindo a contrapartida do Estado, que seria garantida pelo Fundo de Combate à Pobreza e obteve da secretaria Nacional de Habitação autorização para retomada desses contratos.

“Nosso governo se esforçou muito e conseguimos recuperar um convênio importante, que vai assegurar a construção de mil e trezentas moradias no Rio Grande do Norte para a população mais humilde. Desses mais de R$ 60 milhões, o governo vai entrar com uma contrapartida de R$ 10,4 milhões. As tratativas entre a CEHAB e a Caixa Econômica Federal já estão em curso para agilizar o processo licitatório e possamos dar início à construção dessas moradias o mais rápido possível. Isso é cidadania, é dignidade. É garantir às pessoas menos favorecidas o direito de conquistarem a sua casa própria”, ressaltou a governadora. Cerca de 8 mil pessoas devem ser beneficiadas com esta ação de governo.

Assecom – Governo do RN;

Styvenson: “Armar a população sem critérios não é saída para a violência”

O senador Styvenson Valentim (Pode-RN) criticou a possibilidade de disponibilizar armas para a população sem critérios rigorosos. O Decreto Presidencial 9.785 de 2019, que trata da flexibilização do uso de armamento no país foi o tema da audiência pública na Comissão de Direitos Humanos (CDH), nesta quarta-feira, 29. O senador potiguar participou da audiência e reiterou a necessidade de maior rigidez nas regras para aquisição, cadastro, registro, posse, porte e comercialização de armas de fogo e munições no Brasil.

“Se o cidadão é do bem, qual o medo de se submeter a um teste toxicológico? Quer ter armas? Eu não sou contra, mas também não sou a favor. Precisam ter critérios e punições mais rígidas. Sabe quantas mulheres já morreram por brigas de casal? Imagine agora com a liberação das armas? Não dá para mensurar o impacto. Eu aprendi uma coisa simples na polícia: número é superior a armas. Um cidadão sozinho vai se defender? É a falsa ilusão da segurança”, argumentou Styvenson.

O parlamentar defendeu ainda o Projeto de Lei do Senado nº 603 de 2019, de sua autoria, que pretende facilitar a identificação de projétil de arma de fogo para rastrear mais rapidamente a origem. A proposta vai alterar a Lei nº 10.826 de 2003, para definir que todo projétil de arma de fogo conterá dispositivo que possibilite a identificar o lote. Cada lote deve ser de, no máximo, de mil unidades. Norma atual do Exército determina a quantidade máxima de 10 mil itens em um lote de munição.

“Neste momento tem delegados de polícia que não sabem como agir. Vão atuar como arma de uso restrito ou arma de uso permitido? Gostaria de agradecer as palavras do capitão Styvenson e parabenizá-lo. É muito importante o trabalho de um policial que mostra na prática como funciona. Precisamos derrubar esse decreto desastroso. A questão de rastreamento de munição é absolutamente fundamental. Esse decreto permite a recarga de munição por clube de tiros e isso é um absurdo”, afirmou Felippe Angeli, representante do Instituto Sou da Paz.

O presidente da Police Association – IPA Brasil, Joel Mazo, que é a favor do decreto defendeu o posicionamento do senador Styvenson. “Concordo com o senhor, senador Styvenson. Nós defendemos que o que mata é a bala, não a arma. Iremos apoiar o senhor. Precisamos saber tudo sobre de onde vem e para onde vai a munição”, observou.

O senador Eduardo Girão (Pode-CE), que presidiu a audiência e se posiciona contra a liberação das armas, fez um apelo à população. “Tem um grupo de senadores, que é a maioria, que está contra esse decreto. Eu digo a população que não se arme. Armado, você pode causar um problema muito maior a você e a sua família”, afirmou.

“Estou feliz em saber do posicionamento de pessoas como o senador Styvenson e o senador Girão. Esses senadores não só trouxeram os fatos, mas colaboram com a paz, através do trabalho que fazem nas escolas, estimulando a não violência. Ampliar a compra de munições para até 5.000, sem nenhum rastreamento, é desastroso”, observou Nazareno Feitosa, do Movimento Vida em Paz, referindo-se à parte do decreto 9785 que aumentou de 50 para 5.000 o limite de projéteis que podem ser adquiridos por ano por quem usa arma para defesa pessoal.

Assecom – Senador Styvenson Valentim RN;

Papa Francisco envia carta a Lula e diz: “Não desanime e confie em Deus”

Revista Fórum

O Papa Francisco enviou uma carta ao ex-presidente Lula neste mês, em que ele pede para o petista não “desanimar e continuar confiando em Deus” diante das “duras provas” vividas ultimamente.

“Tendo presente as duras provas que o senhor viveu ultimamente, especialmente a perda de alguns entes queridos – sua esposa Marisa Letícia, seu irmão Genival Inácio e, mais recentemente, seu neto Arthur de somente 7 anos -, que lhe manifestar minha proximidade espiritual e lhe encorajar pedindo para não desanimar e continuar confiando em Deus”, diz o Papa.

No texto, provavelmente escrito durante o período da Páscoa, Francisco fala da ressurreição de Jesus Cristo e que o triunfo d’Ele “sobre a morte é a esperança da humanidade”.

“A sua Páscoa, sua passagem da morte à vida, é também a nossa páscoa: graças a Ele, podemos passar da escuridão para a Luz; das escravidões deste mundo para a liberdade da Terra prometida; do pecado que nos separa de Deus e dos irmãos para a amizade que nos une a Ele; da incredulidade e do desespero para a alegria serena e profunda de quem acredita que, no final, o bem vencerá o mal, a verdade vencerá a mentira e a Salvação vencerá a condenação”, diz o texto, que é uma resposta a carta de Lula enviada ao líder católico em 29 de março.

“É uma carta que carrega muitas mensagens, além daquelas de afeto”, disse a advogada Carol Proner a Mônica Bergamo, na edição desta quarta-feira, 29, da Folha de S.Paulo. Amiga de Lula, a jurista faz parte de um grupo de estudos no Vaticano e teve acesso à correspondência.

Leia na íntegra.

Assembleia Universitária debate bloqueio do orçamento e alerta que o 2º semestre está comprometido na Ufersa

A Comunidade Acadêmica da Universidade Federal Rural do Semi-Árido se reuniu na tarde desta terça-feira, dia 28 de maio, no Auditório Amâncio Ramalho para a 11ª Assembleia Universitária de 2019, convocada pelo reitor José de Arimatea de Matos com a finalidade de apresentar informações sobre a situação orçamentária da Universidade. Estiveram presentes no encontro, gestores da Instituição, professores, técnicos administrativos e estudantes.

O reitor abriu a programação da Assembleia esclarecendo à Comunidade sobre o intenso trabalho das equipes de Planejamento e Administração da Universidade desde a publicação do Decreto Nº 9.741, que dispõe sobre a programação orçamentária e financeira e que estabelece o cronograma mensal de desembolso do Poder Executivo Federal para o exercício de 2019, o que impacta diretamente na Universidade.

O pró-reitor de Planejamento, professor Álvaro Fabiano Pereira de Macêdo, expôs os números e o reordenamento financeiro e orçamentário da Instituição com a efetivação dos valores contingenciados. Para o ano de 2019, estava aprovado o valor superior a R$ 290 milhões na Lei Orçamentária Anual. Desse montante, quase R$ 240 milhões são reservados ao pagamento de salários dos servidores ativos e aposentados.

Essa rubrica não pode ser contingenciada, de modo que o valor impactado com os bloqueios anunciados pelo Ministério da Educação caem sobre a fatia aplicada em custeio e capital. Para o custeio da Universidade estavam previstos quase R$ 43 milhões em material de consumo, terceirizados e serviços; para capital, valor destinado a obras e equipamentos, o orçamento era de pouco mais de R$ 8 milhões.

Se os valores bloqueados não forem revertidos, serão cortados da universidade mais de R$ 12 milhões do custeio, o equivalente a 30% do orçado, e R$ 3,6 milhões de capital, ou seja, 45% do planejado. Com isso, a Universidade vem diariamente dialogando com os setores para reorganizar o funcionamento da instituição.

Perante a esse cenário, a Instituição precisa empenhar recurso superior a 21 milhões de reais, mas só tem disponível para empenho próximo a R$ 12 milhões, ou seja, um déficit na casa dos 9 milhões de reais. Com isso, as pró-reitorias de Administração, de Planejamento e a Reitoria analisam que, efetivado o bloqueio, como proposto, e ainda considerando os gastos essenciais para o funcionamento acadêmico e administrativo, os recursos para pagar as despesas de funcionamento como energia, terceirização e manutenção só vão até agosto.

Na sequência, foram respondidas as perguntas enviadas pela plateia, que lotou o Auditório. Os questionamentos versaram sobre a Assistência Estudantil, cargos e nomeações, serviços à comunidade, Hospital Veterinário, bolsas de pós-graduação e a segurança nos campi. Estiveram na mesa para explicar cada uma dessas situações, além dos já mencionados acima, o vice-reitor, José Domingues Fontenele, Keliane de Oliveira Cavalcante (PROGEPE), Jorge Luiz de Oliveira Cunha (PROAD), Jean Berg Alves Silva (PROPPG), Vânia Christina Nascimento Porto (PROAE), Rodrigo Nogueira de Codes (PROGRAD), e Almir Mariano de Sousa Júnior (pró-reitor adjunto da PROEC).

No início da Assembleia, também falaram os representantes do Diretório Central do Estudantes – DCE, do Sindicato Estadual dos Trabalhadores em Educação do Ensino Superior do Rio Grande do Norte – SINTEST, do Sindicato Nacional dos Técnicos de Nível Superior das IFES – ATENS, da Associação dos Docentes da Universidade Federal Rural do Semiárido – ADUFERSA, categorias que manifestaram preocupação com o impacto das atuais medidas tomadas contra a universidade pública.

Ufersa Campus de Angicos abre inscrições para submissão de trabalhos para I Simpósio de Educação Infantil

O I Simpósio de Educação Infantil está com inscrições abertas para submissão de trabalhos até o próximo dia sete de junho. O evento está sendo planejado no contexto do Semiárido potiguar como atividade formativa – acadêmica e científica, que envolve ações de pesquisa, ensino e extensão desenvolvidas no âmbito do Grupo de Pesquisa e Extensão em Educação da Infância, Culturas, Currículos e Linguagens – EDUCLIN do Campus Angicos da Universidade Federal Rural do Semi-Árido.

Em sua primeira edição, tendo como parcerias na realização o PosEduc da UERN e o NEI-CAp da UFRN, tematiza “Educação Infantil, Culturas e Currículos: políticas e práticas cotidianas”, por meio de conferências, círculos de cultura e rodas de diálogos com professores especialistas e pesquisadores da área.

Pensar em/nos currículos narrados e construídos nos contextos das políticas e das práticas cotidianas, que consideram ou precisam considerar e ampliar as culturas da infância – múltiplas, singulares, plurais, coletivas – constitui-se como importante discussão para/na formação de professores e reflexão sobre as práticas pedagógicas e pesquisas em desenvolvimento.

A partir do tema central, o evento organiza grupos de trabalho para apresentação e discussão de trabalhos de pesquisa e/ou relatos de experiências pedagógicas de professores, estudantes e pesquisadores da Educação Infantil.

As inscrições estão abertas na página do evento.

Duas pessoas são presas em operação que desativou 35 ‘gatos’ de energia no interior do RN

Ação foi em conjunto entre polícias Militar e Civil — Foto: DivulgaçãoDuas pessoas foram presas em flagrante em uma operação que desativou 35 “gatos” de energia em residências no município de Areia Branca, na Região Costa Branca, nesta terça-feira (28). A ação aconteceu em conjunto entre a Companhia Energética do Rio Grande do Norte (Cosern) e as polícias Civil e Militar.

Além das duas pessoas detidas, uma terceira foi conduzida para prestar depoimento na Delegacia de Areia Branca.

A ação desta terça-feira (28) faz parte da “Operação Varredura”, que acontece desde janeiro deste ano. No total, a Cosern já fez 22.686 inspeções e desativou 2.719 “gatos” de energia no RN neste período. Seis pessoas foram presas.

Segundo a Cosern, o volume de energia recuperado de janeiro até maio seria suficiente para abastecer, por exemplo, o município de Macaíba durante um mês ou o de Patu pelo período de um ano.

O “gato” de energia é crime previsto no artigo 155 do Código Penal e a pena para o responsável pela fraude pode chegar quatro anos de reclusão. Além de crime, o “gato” também provoca perturbações no fornecimento de energia da região e pode causar a queima de eletrodomésticos, além de oferecer riscos à vida de quem está próximo.

As ligações clandestinas de energia, os famosos “gatos”, podem ser denunciados de forma anônima pela população através do telefone 116 ou pelo site da Cosern.

Movimento estudantil planeja atos ainda maiores no dia 30: “A luta apenas começou”

Manifestação em Brasília (DF) reuniu uma multidão no último dia 15 - Créditos: Rafael Tatemoto/BdFApós comemorar o impacto dos atos da Greve Nacional da Educação na última quarta-feira (15), com um milhão de manifestantes em cerca de 200 cidades brasileiras, o movimento estudantil assumiu o objetivo de ampliar o volume dos próximos protestos. Por isso, antes mesmo do fim do dia, a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes), a União Nacional dos Estudantes (UNE) e a Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG) convocaram a população para o Segundo Dia Nacional em Defesa da Educação em 30 de maio. 

A pauta central das reivindicações será, mais uma vez, o repúdio ao corte de 30% do orçamento da pasta pelo governo Jair Bolsonaro (PSL).

Marianna Dias, presidenta da UNE, afirma que a paralisação de todos “institutos e universidades federais” foi um “dia histórico” e “vitorioso”, que será lembrado como “uma das maiores manifestações” do último período no Brasil.

“Nós convocamos mais um dia de mobilização nacional para mostrar que nossa luta apenas se iniciou, que ela terá prosseguimento para que conquistemos nosso objetivo, que é reverter os cortes. Nós temos força”, ressalta. 

Matias Cardomingo, mestrando em Economia e coordenador da Associação dos Pós-Graduandos (APG) da Universidade de São Paulo (USP), explica que nas próximas semanas os pesquisadores realizarão uma série de atividades para “ressignificar a universidade” diante da opinião pública, intensificando “a relação da academia com a sociedade, não só pensando nas manifestações”. 

A ideia é que o senso comum de “defesa da educação” seja combinado à luta concreta das instituições de ensino que estão na mira do atual governo, financeira ou politicamente. 

“O que a gente viu é que a educação está tocando a sociedade de forma mais ampla. [Vamos] começar alguns movimentos para levar as pesquisas que estão sendo feitas aqui dentro para escolas públicas, e também começar a organizar caravanas para as pessoas conhecerem a USP”, explica.

Além das iniciativas do movimento estudantil, que busca tornar as demandas da educação mais próximas de familiares de docentes e de estudantes, as declarações de Bolsonaro sobre protestos também têm servido como combustível. 

Paróquia de São José dos Angicos encerra dias 30 e 31 celebrações do Mês Mariano

A imagem pode conter: 3 pessoasA Paróquia de São José, de Angicos e de Fernando Pedrosa, encerra as celebrações do Mês Mariano, nos dias 30 e 31 de maio. No dia 30, a coroação da imagem de Nossa Senhora acontecerá na Capela de São Joaquim, na cidade de Fernando Pedroza, e na Capela de Nossa Senhora de Fátima, no bairro Alto da Esperança, em Angicos.

No dia 31, às 19h30, haverá missa, encerrando solenemente o Mês Mariano na Paróquia com a coroação da imagem de Nossa Senhora na Igreja Matriz, na cidade de Angicos.

As informações chegam até o nosso blog por meio da Pastoral da Comunicação da Paróquia de São José dos Angicos (Pascom).

UERN abre inscrições para cursinho gratuito de preparação para o Enem

UERN abre inscrições para cursinho gratuito de preparação para o Enem  — Foto: Divulgação/UERNA Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN) abriu inscrições para o cursinho gratuito preparatório para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O curso é uma parceria da UERN com a Rede Emancipa e é destinado a alunos de escolas públicas.

As aulas vão acontecer aos sábados, no departamento de Comunicação Social da UERN, em Mossoró, e as inscrições podem ser feitas no link.

O cursinho será ofertado por alunos da UERN lotados nos departamentos de História, Geografia, Filosofia, Sociologia, Química, Física, Biologia, Língua Portuguesa, Literatura, Língua Estrangeira, Artes, Educação Física e Matemática.

De acordo com a Universidade, profissionais também podem se inscrever para ministrar aulas como voluntários.

UFERSA/Angicos apresenta relato de experiência no ENCEP – Encontro Nacional de Coordenadores de Cursos de Engenharia de Produção (2019)

Nos dias 08 a 10 de Maio de 2019 em Goiânia – GO, realizou-se o XXIV Encontro Nacional de Coordenadores de Cursos de Engenharia de Produção. Este ano o evento teve como tema:  “Busca da excelência nos cursos de Engenharia de Produção: novas diretrizes, internacionalização e certificação.” 

O Encontro Nacional de Coordenadores de Cursos de Engenharia de Produção (ENCEP) é o principal evento orientado à integração entre profissionais do ensino na área de Engenharia de Produção no país. Reúne, habitualmente, grande parte dos coordenadores de cursos de graduação e de pós-graduação da área, constituindo-se no principal evento de planejamento das atividades de ensino e pesquisa realizadas no âmbito dos cursos de Engenharia de Produção. Este encontro se consolidou como o principal fórum de discussão de questões atinentes à Engenharia de Produção no país, bem como de integração/intercâmbio entre as diversas instituições de ensino superior (IES) brasileiras que mantêm cursos na área de Engenharia de Produção.

A programação contou com Mesas Redondas, Palestras, Grupos de Trabalho, Oficinas didáticas e uma novidade: relatos de experiência. Estes relatos tem o objetivo de promover e incentivar as experiências inovadoras na área de Educação em Engenharia de Produção no Brasil; além de proporcionar um espaço para compartilhar experiências e construir conhecimentos que contribuam para a divulgação, replicação e desenvolvimento destas práticas.

Os relatos abordaram problemas críticos e desafiadores para a prática da Educação em Engenharia de Produção, propondo soluções inovadoras nas temáticas de:  Vocação, ingresso e acolhimento; Aplicação de metodologias ativas; Integração graduação x pós-graduação; Integração universidade x mercado e comunidade; Inovação e empreendedorismo; Internacionalização; Formação continuada e acompanhamento dos egressos. Cada relato aprovado tornou-se um capítulo de livro (acesse aqui).

O curso de Engenharia de Produção da UFERSA/Campus Angicos foi o único representante do Rio Grande do Norte no evento e ainda obteve êxito na aprovação de seu relato de experiência intitulado Recepção e Acolhimento: O Projeto da Aula Inaugural (Capitulo 4 do livro). O relato foi apresentado pela coordenadora do curso Natália Veloso Caldas de Vasconcelos e pela vice-coordenadora do curso Marianna Cruz Campos Pontarolo.

“A participação no ENCEP 2019 foi extremamente válida e motivante para continuarmos com o trabalho que estamos fazendo. Tivemos a confirmação que estamos no caminho certo e que podemos sim superar alguns obstáculos com perseverança, sempre buscando proporcionar um curso melhor para nossos alunos.” – Natália Veloso Caldas de Vasconcelos – Coordenadora do curso

“Foi extremamente gratificante apresentar o modelo de nossa aula inaugural,  perante outros cursos renomados no país, com estrutura e história mais consolidadas no ensino superior, que o nosso. É o reconhecimento das práticas realizadas no semiárido potiguar, que agora se tornaram referência para todo o país.  A nossa ideia de combinar visita técnica + apresentação do curso + hackathon é inovadora em nossa área, o que causou muita surpresa aos ouvintes, que se sentiram motivados em levar esta prática para sua instituição também.” – Marianna Cruz Campos Pontarolo  – Vice-coordenadora do curso.

Governo do RN anuncia que vai admitir 122 agentes penitenciários neste ano

O Governo do Estado mantém o compromisso de reforçar o sistema penitenciário do RN e confirmou a nomeação de 122 novos agentes penitenciários concursados dentro do limite das vagas em aberto. As convocações estão previstas para os meses de julho e outubro.

O anúncio foi feito pelo vice-governador Antenor Roberto, após reunião com uma comissão de representantes dos concursados e mais o chefe do Gabinete Civil, Raimundo Alves, os secretários de Estado da Justiça e Cidadania (Sejuc), Pedro Florêncio, da Segurança Pública e Defesa Social, Francisco Araújo, e o procurador geral do Estado, Luis Antonio Marinho, nesta segunda-feira, 27.

Antenor Roberto reafirmou o compromisso da administração e da governadora Fátima Bezerra em convocar os concursados até o preenchimento de todas as vagas abertas. “Com essa determinação, a governadora Fátima Bezerra também garante que o sistema prisional, agora ampliado com novos agentes, vai também proporcionar um melhor atendimento aos familiares, aos advogados e àqueles que estão sob custódia do Estado”, enfatizou.  

A equipe econômica estudou o impacto financeiro e a Procuradoria Geral do Estado analisou a contratação considerando as limitações impostas pela Lei de Responsabilidade Fiscal – LRF. O Governo tem estes balizamentos que precisam ser respeitados observando a segurança jurídica dos seus atos e a capacidade financeira.

%d blogueiros gostam disto: