Correios fecham agências do Banco Postal e afeta 138 mil aposentados

correios-e1493326924765Mais de 1,8 mil agências de Correios do país deixarão de fornecer serviços de Banco Postal a partir de 11 de outubro, anunciou ontem a instituição. A mudança atingirá 12 estados e afetará diretamente a vida de quase 138 mil beneficiários do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), que precisarão migrar para agências do Banco do Brasil mais próximas ou para outros bancos. Pelo menos 1,2 mil deles terão que viajar para outras cidades para sacar os benefícios. O restante continuará sendo atendido em agências bancárias nas mesmas localidades, segundo o INSS.

Os Correios apontam como principal motivo para o corte a falta de dinheiro para arcar com gastos de manutenção, como contratação de vigilantes armados e portas giratórias. Das 6 mil agências dos Correios que oferecem serviços bancários, quase 2 mil são obrigadas, por lei, a ter vigilantes, o que gera um custo de R$ 8 milhões por mês. Para contratá-los em todas as agências do Banco Postal, o custo chega a R$ 28 milhões mensais. “Com o aumento das decisões judiciais que obrigam a adoção de ações de segurança adicionais às previstas para correspondentes bancários, os Correios se veem obrigados a interromper os serviços do Banco Postal nessas localidades, uma vez que os altos custos os tornam inviáveis”, justificou, em nota, a assessoria da empresa.

IFRN: Campus Lajes realiza entrega de alimentos para famílias em situação de vulnerabilidade social

alimentosifrnO IFRN Campus Lajes, em parceria com o Grêmio Estudantil Alzira Soriano (GEAS), efetuou a entrega de alimentos, cerca de 370 kg, que foram arrecadados durante a Gincana Colaborativa da I SEMADEC, realizada entre os dias 20 e 23 de junho (2017).

Os alimentos não perecíveis foram destinados a famílias da área rural de Lajes, que se encontram em condição de vulnerabilidade social.

“O objetivo da doação de alimentos, resultado da arrecadação ocorrida durante a Gincana Cooperativa da I SEMADEC, é de valorizar as relações solidárias, incitar a consciência social dos alunos e estabelecer uma ponte colaborativa de retorno aos setores vulneráveis da comunidade que tão bem nos acolhe.

Uma ação de um evento cultural não poderia esquecer que a cultura em si é um organismo complexo, formado por múltiplos agentes que não se encerram nem começam nos muros da escola, mas existem neles e devem ressonar no seu cotidiano”, acrescentou o diretor acadêmico e professor André Bezerra.

Fonte: IFRN Lajes;

Condenado na Lava Jato, Lula lidera intenções de voto para 2018

e56ue6u-1-750x422Mesmo após condenação na Operação Lava Jato, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) se mantém na liderança da corrida presidencial de 2018. Segundo pesquisa Datafolha divulgada neste sábado (30), o petista tem pelo menos 35% das intenções de voto nos cenários testados e garante, assim, uma vantagem significativa em relação os seus principais adversários.

De acordo com o levantamento publicado na “Folha de S. Paulo”, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC) e a ex-senadora Marina Silva (Rede) estão empatados em segundo lugar. Na simulação de cada um dos candidatos contra Lula, Bolsonaro oscila entre 16% e 17% e Marina entre 13% e 14%.

Já os tucanos Geraldo Alckmin e João Doria apresentam desempenho equivalente na disputa com Lula, Bolsonaro e Marina. Ambos têm 8% das intenções de voto.

Nas simulações de segundo turno, o ex-presidente, pela primeira, vence todos os adversários. Porém, se o juiz Sergio Moro concorrer (possibilidade que ele descarta), teríamos um empate técnico.

Na pesquisa anterior, realizada no mês de junho, Lula já vencia os principais concorrentes no segundo turno, mas empatava também com Marina.

Contudo, se o ex-presidente for condenado em segunda instância pelo Tribunal Regional Federal por conta do caso do tríplex em Guarujá, ele pode se tornar inelegível. Caso isso ocorra, a transferência de votos para outro petista é bastante restrita. Segundo pesquisa, apenas 26% dos entrevistados dizem que votariam em alguém indicado por ele.

A pesquisa foi realizada na última quarta-feira (27) e na quinta-feira (28). O Datafolha fez 2.772 entrevistas em 194 cidades. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Conta de luz de outubro terá bandeira vermelha, com cobrança extra mais alta

luz

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou que a bandeira tarifária das contas de luz em outubro será a vermelha patamar 2. A tarifa é a mais cara do modelo e representa a cobrança de taxa extra de R$ 3,50 a cada 100 Quilowatt-hora (kWh) consumidos. Em setembro, a bandeira tarifária das contas de luz foi a amarela, com taxa extra de R$ 2 para cada 100 kWh de energia consumidos.

Segundo o diretor-presidente da Aneel, Romeu Rufino, a decisão foi tomada devido à baixa vazão das hidrelétricas, porque as chuvas em setembro ficaram abaixo da média. “Em função do regime hidrológico muito crítico, este setembro foi o pior mês de setembro, do ponto de vista da vazão, da série histórica do setor elétrico”.  Apesar do alerta, Rufino disse que não há risco para o abastecimento de eletricidade.

Desde que a bandeira vermelha passou a ter dois patamares, 1 e 2, em janeiro de 2016, esta é a primeira vez que o nível mais alto é acionado. A tarifa extra mais alta se deve à necessidade de operar mais usinas térmicas, cujo custo de produção da energia é mais alto que a da produzida nas hidrelétricas.

Na semana passada, o Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE), ligado ao Ministério de Minas e Energia, havia decidido não acionar as usinas termelétricas mais caras, o chamado “despacho fora da ordem de mérito” mas aprovou, se necessário, o aumento da importação de energia elétrica da Argentina e do Uruguai “na medida em que for possível”.

Na reunião, o CMSE também decidiu retomar a operação de três usinas termelétricas que estão paradas. Segundo o comitê, as usinas de Araucária, Cuiabá e Termonorte II “são capazes de produzir energia a preços mais competitivos se comparados com os de outras usinas térmicas.”

Economia de energia

Além disso, a Aneel também realizará uma campanha de conscientização do uso da energia elétrica. Entre as recomendações que a agência fará, estão a de usar a temperatura morna do chuveiro e tomar banhos mais curtos, de até cinco minutos; diminuir ao máximo a utilização de ar-condicionado e não deixar portas e janelas abertas em ambientes com o equipamento; não colocar alimentos quentes e deixar a porta da geladeira aberta apenas o tempo que for necessário; e utilizar iluminação natural ou lâmpadas econômicas, além de apagar a luz ao sair de um cômodo.

%d blogueiros gostam disto: